IMPLANTES

Aqui na clínica odontológica Dra. Juliana Aveiro e Equipe a implantodontia faz parte dos cuidados funcionais e estéticos. Poder mastigar sem o uso de dentaduras e sorrir sem nenhum constrangimento é o sonho de muita gente, e provavelmente o seu. Entenda como nossa clínica odontológica pode te ajudar a tornar esse sonho real:

1. O que são implantes odontológicos?

Os implantes dentários são dispositivos feitos em titânio que servem para substituir a raiz do dente e dar suporte a uma prótese, contribuindo assim para uma melhor aparência física e função mastigatória. Eles são indicados para pacientes com perda unitária, parcial ou de todos os dentes.

2. Quanto Custa?

O orçamento do tratamento só pode ser dado por um dentista após avaliar a situação da boca do paciente. No dia da avaliação o dentista conversará sobre as opções, apresentará os tipos de implantes e explicará todo o procedimento, e o preço será de acordo com o material escolhido. Por isso a melhor maneira de obter informações sobre valores é após uma consulta. Agende sua consulta aqui.

3. Qualquer pessoa pode fazer os implantes odontológicos?

A indicação dos implantes odontológicos depende de fatores como a quantidade e a qualidade do osso, defeitos ósseos e reabsorções presentes, presença de placa bactériana, tipo de oclusão (mordida) do paciente, presença de para funções (bruxismo ou apertamento dos dentes), qualidade da gengiva, hábitos nocivos como fumo, e alterações no sistema de saúde geral. Pacientes jovens que não apresentam o crescimento terminado, que é estimado para os 16 anos para as mulheres e 17-18 anos para os homens, não são indicados a fazer o tratamento. Deve-se sempre lembrar que os implantes odontológicos envolvem um procedimento cirúrgico e, portanto, devem ser tratados com seriedade.

4. Quais as contra indicações aos implantes odontológicos?

Não há contra indicações aos implantes, há fatores de riscos que podem estar associados à cirurgia para a sua colocação. Os fatores as serem avaliados são: condição de saúde geral, idade, psicologia e motivação, e disponibilidade.

5. E quanto ao sucesso dos implantes odontológicos?

O sucesso dos implantes depende, em grande parte, do profissional escolhido, da saúde local e sistêmica do paciente, e dos cuidados e manutenção do implante odontológico.

6. Quais são os exames necessários para a cirurgia de implantes odontológicos?

Em primeiro lugar, deve-se fazer as avaliações de saúde necessárias para que se possa fazer uma cirurgia. Uma vez avaliado que o paciente apresenta uma boa condição de saúde geral, também são feitas avaliações detalhadas da saúde bucal, entre eles a avaliação da mordedura, da presença de placa bacteriana e de inflamação gengival. Exames radiográficos e tomografias computadorizadas devem ser feitos para avaliar a condição óssea do paciente e a possibilidade de se realizar a colocação do implante odontológico.

7. Quais cuidados devemos ter com os implantes odontológicos?

O implante total dos dentes deve ser tratado com os mesmos cuidados de um dente normal, a boa escovação e higiene bucal garante a durabilidade do implante total dos dentes. Os dentes implantados, por serem artificiais não estão sujeitos às cáries, mas pode ocorrer uma inflamação na gengiva e osso ao redor do implante total dos dentes que causam sérios problemas bucais.

8. E como é feito o implante odontológico?

O tratamento com implantes odontológicos é feito em duas etapas: a cirúrgica e a protética. Depois que é feita toda a avaliação clínica, análises dos exames radiológicos e orientação do paciente é chegada a hora da instalação do implante. O dentista se concentra na preparação do osso para receber o implante odontológico. São usadas broca de alta precisão para que não ocorram danos aos ossos. Nessa etapa, o dentista faz os orifícios necessários para a colocação dos pinos dos implantes.
Após a instalação inicia-se a fase protética, ou seja, a confecção da coroa. Essa fase pode se iniciar logo após a etapa cirúrgica, nos casos em que é possível a carga imediata, ou após a ossointegração que leva de 2 a 6 meses após a instalação do implante.

9. Quanto tempo leva a recuperação pós-cirúrgica de implantes odontológicos?

A recuperação após o implante odontológico difere de paciente para paciente, de acordo com o tempo de cicatrização e calcificação de cada um. Em média, esse procedimento de implantes leva de 2 a 6 meses para que ocorra osseointegração, isso é, a união do tecido ósseo ao redor da superfície dos implantes. Pode-se acelerar o processo de colocação da carga dentária dos implantes, mas deve ser feita uma avaliação detalhada pelo dentista antes de tomar essa decisão. Caso não haja cuidado, pode ocorrer uma movimentação inadequada dos pinos dos implantes, o que pode causar uma folga nos ossos e o paciente pode perder os implantes realizados.

10. Quais são os tipos de implantes odontológicos?

Temos dois tipos de implantes odontológicos que variam de acordo com o tempo da colocação da carga protética. São eles:

- Os implantes odontológicos de carga imediata, nos quais prótese é instalada logo após a cirurgia de implantes odontológicos;

- Os implantes de carga tardia, nos quais a carga dentária é colocada após a osseointegração, de 2 a 6 meses após a cirurgia dos implantes odontológicos.

11. O que é implante odontológico de carga imediata?

Os implantes odontológicos de carga imediata são aqueles que a carga protética é colocada até duas semanas após a cirurgia de implantes odontológicos e está cada vez mais em uso nos dias atuais. Muitos estudos e pesquisas estão sendo realizados nessa área, para que os implantes odontológicos de carga imediata sejam cada vez mais eficazes e seguros. A maior vantagem desse tratamento é o tempo reduzido da colocação completa dos implantes odontológicos, com um resultado mais rápido para o paciente.

12. E quanto ao enxerto ósseo?

Alguns pacientes apresentam reabsorção óssea, isso é pouca altura ou espessura óssea, o que impede a colocação do implante odontológico. Nesses casos, o dentista pode optar por fazer uma cirurgia de enxerto ósseo que consiste no ganho de altura e espessura do tecido ósseo, para a futura instalação do implante odontológico, visando maior longevidade e o sucesso do tratamento.